É fácil ver a terra como a nossa mãe. Mãe Natureza. O ventre que sustenta toda a vida para nascer, crescer, e morrer, apenas para nascer de novo, neste ciclo sem fim, neste ventre em constante mudança.

Eu também já vi o pai por aí. Neste mundo, nesta terra, nesta quinta. Já o vi muitas vezes, de diferentes formas.

Ele é o pássaro que planta as sementes na nossa mãe colectiva através dos seus dejectos.

Ele é o javali, a lavrar e a cavar para que as sementes no solo germinem.

Ele é o agricultor. Com as suas mãos suaves moldando a terra, ou com as suas pesadas botas a pressionar e compactar firmemente o solo. Segurando ternamente as pequenas plantas, inspeccionando cuidadosamente as suas frágeis raízes, criando poderosamente o espaço para elas crescerem, partilhando amorosamente os seus alimentos compostados, nutrindo-as com matéria orgânica.

Ele irradia uma paciência divina e um desejo de desenvolver algo que irá alimentar o ambiente muito para além da sua própria vida.

Ele é Dada Mahaprajiananda, Prakash, Abhiik, Prahlad, Ritambhar, Jishnu, Marcelo, Amar, Shiva Ananda, e os inúmeros outros trabalhadores, voluntários e visitantes que geraram este projecto numa comunidade maravilhosamente em desenvolvimento, uma quinta abundante, com estruturas que proporcionam espaço para a criatividade, activismo, espiritualidade, sabedoria, e crescimento.

É isto que significa ser pai? Ser altruísta – mas não sem falhas – dando e cuidando de sementes para crescer em árvores resilientes, plantas abundantes, ou seres humanos maravilhosos e outros animais, com efeitos que duram para além da própria existência deste pai?

Todos se relacionam de forma diferente com o pai, mas talvez, com este quadro, possamos ver os efeitos do seu ser à nossa volta, assim como dentro de nós. Reconhecê-lo e agradecer-lhe, pois ele é essencial para toda a vida, e ele continuará a dar e a construir para as gerações vindouras.

O que significa para ti paternidade?
Como, onde, e em quem vês o pai à tua volta?
Como é que vês o pai dentro de ti?
Como estás grato por estes pais?
Obrigado, aos pais que estão aqui, aos nossos próprios pais, e a todos os pais antes disso.

Escrito por Mia Madhavii