Curiosidades da Nossa Flora: Rosmaninho

Por aqui, com a Primavera, os campos floriram e o Rosmaninho também. A sua flor, que dá cor e cheiro aos nossos campos, é bastante famosa por todo o mundo pelas suas imensas propriedades.

O Rosmaninho, Alfazema ou Lavanda, pertencem ao mesmo género Lavandula, mas não são a mesma planta. A palavra Lavanda, vulgarmente utilizada no Brasil, é sinónimo de Alfazema. Existem as espécies de Lavandula conhecidas sob a designação comum de Alfazema, e as vulgarmente conhecidas como Rosmaninho. (1) (1)

Em Portugal existem, principalmente, cinco espécies de Lavandula: (2)

Lavandula latifolia (alfazema-brava);

Lavandula multifida (alfazema-de-folhas-recortadas);

Lavandula stoechas (rosmaninho-menor);

Lavandula pedunculata (rosmaninho-maior).

Com um ciclo de vida perene e que cresce espontaneamente, as propriedades destas plantas vão muito além do aroma das suas flores. O uso da Alfazema e do Rosmaninho para fins medicinais remonta às antigas civilizações greco-romanas e egípcias. O nome Latim Lavandula vem do seu antigo uso para perfumar a água para banho, derivando da palavra latina Lavare, que significa lavado. (3)

No uso medicinal as infusões de rosmaninho ajudam contra as constipações, tosse, digestões difíceis, dores de cabeça, problemas de coração e dores menstruais.

A água floral desta planta é utilizada para evitar a queda do cabelo, na lavagem de feridas, e na preparação de cremes para relaxamento muscular e alívio de dores reumáticas.

O óleo essencial das folhas e das flores encontra aplicação medicinal como antisséptico, anti-inflamatório, digestivo, calmante, antidepressivo e com efeito positivo no tratamento de queimaduras, picadas de insetos e dores de cabeça. Com diferentes efeitos, consoante a espécie considerada, alguns óleos essenciais possuem atividade antifúngica, antibacteriana, e uma ação repelente e tóxica para insetos. (1)

Na sexta-feira passada, com o alambique de cobre, fizemos a extração da água floral e óleo essencial desta planta.

“Rosmaninho que me deram,

Rosmaninho que darei,

Todo o mal que me fizeram

Será o bem que eu farei.” por Fernando Pessoa (4)

Fontes: (1) – Lavandula Luisieri (Rozeira) Rivas-martínez e Lavandula Pedunculata (Mill.) Cav., artigo académico, cbv.fc.ul.pt

(2) – Aromaterapia: Alfazema e Rosmaninho no Dia a Dia, blogpost, ayurvedica.pt

(3) – Lavender: the Genus Lavandula, Livro, books.google.pt

(4) – Rosmaninho que me deram, Poema, arquivopessoa.net

Fotos: Ronja Radhika

Texto: João Jivanmukta